quarta-feira, abril 14, 2010

Quando o que se assume conduz à resposta errada



Para se ver o quão importante é o ponto de partida, leva em conta aquele assassinato que aconteceu no Qatar.

Enquanto eles pensavam que tinha sido morte natural, os dados que tinham em seu poder não faziam muito sentido ou não explicava tudo. Mal passaram a assumir que tinha sido assassinato, as peças começaram a encaixar umas nas outras. Pesquisaram as câmaras de vídeo e viram os assassinos; verificaram datas de saida do pais e as coisas começaram a fazer mais sentido.

O mesmo se passa com o naturalismo. Enquanto os naturalistas ficarem com essa mau ponto de partida, há coisas que nunca vão fazer sentido. Como é que pessoas muito bem sucedidas no mundo ocidental largam a sua vida confortável e vão falar do Senhor Jesus em zonas remotas do planeta? Como é que se explica que 500 anos antes da Incarnação um judeu a viver na Babilónia possa escrever:

Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém até o ungido [português: o Messias], o príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; com praças e tranqueiras se reedificará, mas em tempos angustiosos.

E depois de sessenta e duas semanas será cortado o ungido [isto é. Morto], e nada lhe subsistirá; e o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade [Jerusalém] e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até o fim haverá guerra; estão determinadas assolações.

Daniel 9:25-26
Como é que este judeu (Daniel) sabia que daí a 500 anos Alguém com o título de "O Ungido" seria morto antes da destruição do Templo? Repara que durante o cativeiro não havia Templo em Jerusalém. Daniel não só sabia que o mesmo seria reconstruído, como sabia que após a reconstrução, ele seria outra vez destruído. O teu naturalismo tem que inventar um número ridículo de explicações como forma de rejeitar a explicação mais directa e coerente (profecia).

Agora, se largares o teu naturalismo, e colocares a hipótese "Se Daniel recebeu de facto uma profecia, o que é que seria de esperar?", vais vêr que a posição Biblica é a que melhor se ajusta aos factos.

Eis aqui o peso que um falso ponto de partida pode ter, e o teu falso ponto de partida (naturalismo) está a conduzir-te para um ponto de chegada horrível.

1 comentários:

A que inundação de refere o texto ?

Enviar um comentário

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More