quinta-feira, Julho 31, 2008

Cristianismo e a Ciência

Contrariamente ao que os crentes ateus dizem, a ciência não é nem nunca foi inimiga do Cristianismo. Alguns cientistas tem mostrado vezes e vezes sem conta que a própria actividade científica só é possível devido a algums pressopusições. Essas mesmas pressopusições são garantidas na visão do mundo Judaico-Cristã, mas ausentes se o naturalismo fôr verdade.

"People take it for granted that the physical world is both ordered and intelligible. The underlying order in nature-the laws of physics-are simply accepted as given, as brute facts. Nobody asks where they came from; at least they do not do so in polite company. However, even the most atheistic scientist accepts as an act of faith that the universe is not absurd, that there is a rational basis to physical existence manifested as law-like order in nature that is at least partly comprehensible to us. So science can proceed only if the scientist adopts an essentially theological worldview.10"


Artigo Original

9 comentários:

No artigo não mostraste nada. Escrevi duas partes sobre o Criacionismo e a Ciência, e a agora estou na terceira sobre como a Religião é um obstáculo à Ciência (a Ciência só é boa se não contradisser os dogmas). Para isso é necessário ter muita cultura sobre a História da Filosofia e da Ciência. A Filosofia e a Ciência nasceu quando as religiões foram questionadas. Quando voltaram a ser impostas, perdeu-se o conhecimento greco-romano. Os muçulmanos eram mais tolerantes: aprenderam com outras culturas, tinham preservado obras perdidas e acrescentaram a importância de certas áreas científicas, como a Medicina, no Corão. Monges mais independentes, como Occam, Roger Bacon e Giordano Bruno sentiram-se atraídos pelo conhecimento muçulmano, defendendo que a fé não deve interferir na Ciência. Essas pessoas eram consideradas hereges, e foram punidas (presas, mortas na fogueira, expulsas de países), mas com o tempo outros monges curiosos descobriram como os gregos e romanos eram muito superiores, e daí tentou-se renascer o período clássico: Renascimento. Kepler elaborou a hipótese do Divino Geómetra, descobrindo que as observações não concordavam com essa hipótese. Assim começa o primeiro passo para a astronomia moderna. Ele foi excomungado. Copérnico reparou que os cálculos das posições dos astros eram mais fáceis se o Sol fosse considerado o centro do Universo. O editor do seu livro colocou um prefácio para não se envolver, a Igreja acrescentou alguns textos e Copérnico morreu antes de ter a mesma sorte de Giordano Bruno. Cientistas, como Galileu, defenderam que a Bíblia não deveria ser considerada como um livro com assuntos científicos e que diversas passagens deviam ser consideradas metafóricas. Coloco umas citações:

«Dizer que a Terra move-se em torno do Sol é tão erróneo como dizer que Jesus não nasceu de uma virgem» - Cardeal Cardnial Robert Bellarmine

«Que o Sol é o centro do Universo e que não sai do seu sítio é uma afirmação absurda, falsa e herética em filosofia; sendo expressamente oposta à Sagrada Escritura. Que a Terra não é o centro do Universo, nem imóvel, mas que se movimenta, mesmo com um movimento diurno, é igualmente uma afirmação absurda e falsa em filosofia, e considerada, pela teologia, errónea na fé» - confissão de Galileu

«Sagredo – Antes de tudo você é um homem, e eu pergunto: onde é que está Deus no sistema do mundo?

Galileu – Em nós, ou em lugar algum.» - “Diálogos sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo”

«Bellarmino - Mesmo ao senhor, não lhe parece provável que o Criador saiba mais que a sua criatura a respeito da criação?» - dirigindo-se a Galileu

Depois de Newton (que era anti-trinitário) é que a Igreja foi perdendo o poder. Citando "História da Filosofia", de Bryan Magee: «As consequências da obra de Newton para a filosofia foram enormes.» (...) «No que respeita à ciência, as antiquíssimas autoridades da Igreja e do Estado simplesmente não existiam.»

Mats,
O Paul Davies é um físico conhecido por fazer alguns fretes aos crentes mas, o problema nem é esse, o problema é que não se consegue entender o que ele quer dizer com "So science can proceed only if the scientist adopts an essentially theological worldview".
Serás capaz de explicar o que é "uma visão do mundo essencialmente teológica" ?

Pedro,
"No artigo não mostraste nada."

Então volta a lêr o artigo, especialmente a parte que está a vermelho.
Mais, Galileu era um teísta, Newton era um teísta , Gordano, Bruno era espiritista (talves não soubesses disso), Kepler era outro teísta, etc, etc. Todos eles, e muitos outros, afirmaram a pés juntos que a ciência que fizeram de maneira nenhum ia contra a sua fé em Deus. Hoje em dia, os ateus re-escrevem a hstória, e dizem que a "ciência" sempre esteve em "guerra" com o Cristianismo.
Enfim.

Deverias estudar mais um pouco sobre a história da ciência, e principalmente para a tua crença de que "os muçulmanos eram mais tolerantes".

Os chamados "números árabes", não são árabes mas indianos. Os próprios árabes chamavam-nos de "Al qarn al hindi" (numeros indianos), se a memória não me falha.
Lê este artigo e vê como a história não é bem assim. A maioria das "descobertas" dos muçulmanos eram na verdade conhecimento que vinham dos indianos, dos gregos, dos judeus e dos assírios. Isto foi independentemente da teologia islâmica. O próprio Al Ghazali, um dos grandes filósofos do Islão dizia "Como é que a natureza pode obedecer leis? Alá faz o que ele bem quiser quando ele quiser!"
Esta frase é totalmente o oposto do que é necessário para a ciênca avançar. Os cientistas cristáos fundadores da ciência moderna viam o universo como uma emanação do Deus Transcendente. Esse universo opera segundo leis constantes porque o Deus que criou o universe é Constante. A nossa mente pode entender o universo porqu a nossa mente foi feita à Imagem e semelhança da Mente de Deus.

Repito a tese do post: não é por acaso que a ciência moderna, aquela que os ateus tentam usar contra o cristianismo, aconteceu na europa cristã.

Se Deus quiser, mais trade faço mais um post sobre a aliança que sempre houve entre o Cristianismo e a ciência, e como o naturalismo desenfreado conduz o ser humano para coisas como Dachau, Treblinka, e gulags.

«Então volta a lêr o artigo, especialmente a parte que está a vermelho.»

Volto a dizer: não mostraste nada. O que está a vermelho não está fundamentado. O teu argumento baseia-se exclusivamente num apelo à autoridade, e isso é não mostrar nada. Mostrar alguma coisa seria apresentar documentos, exemplos e um argumento lógico para fundamentar a ideia que se pretende defender.

O importante não é se é teísta, ateu, deísta, panteísta, ou lá o que é.
Galileu defendeu a separação da Razão e da Fé, que as ideias devem ser suportadas pela experiência e não pela autoridade, e que a Bíblia não devia ser interpretada de forma literal (para a semana posso colocar os artigos todos, com as fontes a apoiar cada um desses pontos, citando o próprio Galileu e apresentando páginas com cópias de documentos - é isso que é mostrar alguma coisa). Qual é que achas que foi a razão da sua condenação?

Newton fazia alquimia em segredo e era anti-trinitário. Foi com base nas suas descobertas que surgiu o Humanismo.

Os muçulmanos eram mais tolerantes, sim senhora. Adoptaram culturas como a chinesa e não obrigaram os europeus a adoptarem a sua religião. Por exemplo, na Península Ibérica o povo continuou sendo cristão apesar da ocupação muçulmana. Por isso eram cientificamente muito mais avançados. Aprendemos isso no 5º ano de História. Se leres "O Nome da Rosa" (Umberto Eco é historiador) reparas igualmente nas referências sobre as influências pagãs nas abadias, e podes encontrar essa informação em livros sobre a História da Ciência, da Matemática, da Medicina, da Física, da Astronomia e da Filosofia.

Que eu saiba não falei em números árabes. Volte a ler novamente o meu comentário, se faz favor. Eu disse que "aprenderam com outras culturas, tinham preservado obras perdidas e acrescentaram a importância de certas áreas científicas, como a Medicina, no Corão". Mas a álgebra foi invenção dos árabes, e Fibonacci deu a conhecer aos atrasados europeus que ainda usavam o ábaco.

Se procurares informar-te pelo que disse (e não pelo que não disse), verificarás que digo a verdade, mas se tiver enganado em algo, não tenho problemas em admiti-lo mais rapidamente do que farias (nunca). Por exemplo, procura biografias de Roger Bacon, de Guilherme de Occam e de Giordano Bruno.

Que eu saiba o berço da Filosofia e da Ciência é a Grécia. A alquimia também deu origem à química e a astrologia à astronomia, mas não vejo ninguém a apoiá-la. Durante o jugo cristão, não havia conhecimentos de higiene, de como fazer canalização, de arte, etc. como no período Clássico. Era obrigatório ser cristão, e muitos dos monges com livre-pensamento foram condenados. O pai da astronomia moderna foi Kepler, e foi excomungado. Todos os grandes cientistas cristãos foram rebeldes que não aceitavam a intervenção da autoridade religiosa na investigação científica.

Não tenho a cegueira de reconhecer que muçulmanos e cristãos contribuíram para a Ciência, mas tu não tens problemas em retirar o mérito dos muçulmanos por seres cristão.

Sobre as leis constantes, foram os antigos filósofos gregos da escola de Mileto que pensaram nisso. Por exemplo na Wikipedia sobre Anaximandro (c. 610 aC – c. 546 aC): «He was an early proponent of science and tried to observe and explain different aspects of the universe, with a particular interest in its origins, claiming that nature is ruled by laws, just like human societies, and anything that disturbs the balance of nature does not last long.» E eles eram descrentes em religiões. Aquino adoptou as ideias dos gregos - especialmente de Platão - e encaixou-as no cristianismo, e Agostinho gostou mais Aristóteles.

"... tenho de acreditar que a minha proposição funciona, porque o aprendi com base na experiência, mas para o acreditar tenho de supor que há lei universais, e no entanto não posso falar delas, porque o próprio conceito de que existem leis universais e uma da ordem das coisas implicaria que Deus fosse prisioneiro delas, enquanto Deus é coisa tão absolutamente livre que, se quisesse, e com um só acto da sua vontade, o mundo seria de outra maneira." - O Nome da Rosa

Procura informar-te sobre a hipótese do Divino Geómetra de Kepler para veres em que deu. No momento em que procurares mesmo por não confiares em mim, em vez de simplesmente procurares meios para refutar-me, terás uma surpresa.

É melhor não dares lições de História sem teres esse mérito. Que eu saiba eu é que estou a dar uma saravaida de informação histórica, e estou a dizer para investigares por ti mesmo. Tu estás só a dizer-me: "lê isto".

«Não tenho a cegueira de reconhecer que muçulmanos e cristãos contribuíram para a Ciência ...»

=>


«Não tenho a cegueira de não reconhecer que muçulmanos e cristãos contribuíram para a Ciência ...»

Para o caso de não teres compreendido, o que defendi foi que a Ciência é propícia num ambiente liberal em que há uma separação entre a ciência e a fé religiosa, e era isso que os cristãos como Roger Bacon, Guilherme de Occam, Giordano Bruno, Kepler e Galileu defendiam (não tenho informação sobre o que Copérnico e Newton pensavam sobre o assunto).

Um exemplo num site cristão:
(ChristianAnswers):
«The "Book of Scripture" must yield to and accommodate the "Book of Nature". Theologians must reinterpret or compromise Scripture to accommodate whatever today's Science says is true. When new scientific theories come along, Biblical interpretations must change accordingly.

The Two-Book concept was encouraged by Galileo's view that scientific descriptions in the Bible were not important, for the common man could not understand them. Galileo used the same terminology.»

Mais noutro site:
«Galileo Galilei was a religious man, and he agreed that the Bible could never be wrong. However, he said, the interpreters of the Bible could make mistakes, and it was a mistake to assume that the Bible had to be taken literally. The true meaning of a Biblical verse might not be obvious at all, and wise Church scholars would have to work hard to find the true meanings.»

Mais:
«Entre o pensamento humano e o pensamento divino não pode haver contradição e, por conseguinte, afirma Galileu e não pode haver contradição entre a Bíblia e a Ciência. Como se entende então o milagre de Josué? Galileu responde que a Bíblia não deve ser interpretada literalmente em questões científicas; a Bíblia procura a salvação das almas; ensina come si vadia al cielo e non come vadia il cielo.» ) «Como se vai para o céu e não como vai o céu.»)

Site de missionários cristãos citando Galileu:
"... o físico e astrónomo Galileu, citando o célebre Cardeal Baronio, deixou escrito que «a intenção do Espírito Santo, ao inspirar a Bíblia, era ensinar-nos como se vai para o céu, e não como vai o céu».

Citando Galileu:
«“If, against the most manifest and reliable testimony of reason, anything be set up claiming to have the authority of Holy Scriptures, he who does this does it through a misapprehension of what he has read and is setting up against the truth not the real meaning of Scripture, which he has failed to discover, but an opinion of his own; he alleges not what he has found in the Scriptures, but what he has found in himself as their interpreter.” English translation of Galileo’s “Letter to the Grand Duchess Christina,”»
(é mostrada uma cópia do documento)

Mais:
«A famosa Carta a Cristina de Lorena fornece aos inimigos de Galileu o pretexto que procuravam para denunciá-lo à Inquisição. A carta continha um manifesto a favor da liberdade de pensamento, contra os argumentos de autoridade

Citações:
«I think that in the discussion of natural problems we ought to begin not with the Scriptures, but with experiments, and demonstrations.»

«In questions of science, the authority of a thousand is not worth the humble reasoning of a single individual.»

«The Bible shows the way to go to heaven, not the way the heavens go.»

«By denying scientific principles, one may maintain any paradox.»


Já fiz parte do trabalho, e podes ver que está de acordo com o que afirmei. Se queres dizer aos outros precisam de estudar mais história, verifica se esses outros não estão mais bem informados do que tu.

Pedro,
Continuas a não vêr a razão do post. Além disso, mostrar desconhecer por completo a história do Islão na Europa, principalmente aqui em Portugal. Mas isso é normal uma vez que os nossos livros mostram versões romanceadas do história da invasão islâmica do sul da europa.

"«Então volta a lêr o artigo, especialmente a parte que está a vermelho.»

Volto a dizer: não mostraste nada. O que está a vermelho não está fundamentado. O teu argumento baseia-se exclusivamente num apelo à autoridade, e isso é não mostrar nada."


Amigo, se o universo é o resultado de forças randómicas, aleatórias, sem guia, sem direcção, sem propósito, como é que se explica a ordem que existe nele? Paul Davies diz e muito bem que os cientistas operam segundo a pressopusição de que o universo é ordenado e organizado. Como é que se explica isso?
O ateísmo não consegue, mas Deus consegue. Obviamenteo, o universe é ordenado, organizado, e funciona segundo leis racionais porque ele foi criado por Deus. O Cristianismo e a Ciência sempre estiveram em união até os ateus redefenirem o conceito de ciência.


O importante não é se é teísta, ateu, deísta, panteísta, ou lá o que é.
Galileu defendeu a separação da Razão e da Fé, que as ideias devem ser suportadas pela experiência e não pela autoridade, e que a Bíblia não devia ser interpretada de forma literal (para a semana posso colocar os artigos todos, com as fontes a apoiar cada um desses pontos, citando o próprio Galileu e apresentando páginas com cópias de documentos - é isso que é mostrar alguma coisa). Qual é que achas que foi a razão da sua condenação?



Para começar, Galileu era um cristão. Segundo, Galileu foi condenado por ir contra a autoridade eclesiástica da altura, que era crente na cosmologia errónea de Ptolomeu. OS cientistas da altura que subscreviam as ideias de Ptolomeu usaram a igreja para silenciar Galileu, tal como hoje os darwinistas tentam usar a lei para silenciar os cristãos que mostram que não há conflito entre as observações e a fé cristã (tal como Galileu fêz).


Newton fazia alquimia em segredo e era anti-trinitário. Foi com base nas suas descobertas que surgiu o Humanismo.

Newton era um criacionista da Terra Jovem, que disse que muitas das suas descobertas científicas foram respostas a orações. Newton não viu conlifto nenhum entre a sua ciência e a sua fé em Deus, contrariamente ao que os atues nos dizem hoje em dia.

Agora vamos a parte onde demonstras total falta de conhecimento sobre a história. Eu geralmente não gosto de fazer posts longos, porque ninguém lê. Eu oro a Deus que depois de lêres esta resposta nunca mais uses este tipo de argumentação para "defenderes" a "tolerância" dos muçulmanos.


Os muçulmanos eram mais tolerantes, sim senhora. Adoptaram culturas como a chinesa e não obrigaram os europeus a adoptarem a sua religião.

Erro numero 1. Os muçulmanos nunca adoptaram cultura nenhuma. eles impuseram a sua cultura por onde quer que passaram. O Egipto, a Siria, o Líbano, o Iraque eram áreas de maioria cristã. O que é que aconteceu?
Lê neste site como é a vida dos cristãos egípcios na sua própria terra, desde a invasão árabe.

Vê o que o "profeta" do islão disse:

"I will expel the Jews and Christians from the Arabian Peninsula and will not leave any but Muslim." -- Muhammad (Sahih Muslim 19.4366

Repara que disse isto é o fundador da religião, e não um qualquer.

Lê o que eles fizeram em Africa.


Continuando, presujmo que saibas da invasão turca dos balcãs, certo?

Repara nisto:
"By the 19th century the Ottoman empire was in decline, and moves towards liberty began among the Balkan peoples. This period saw the first stirrings of modern nationalism, and there was a great desire among the Balkan Christians to rid themselves of their Turkish overlords (and in the case of Romanians, of the Phanariot Greeks that the Ottomans used as administrators). However, nationalism alone did not provide the spur to liberate Europe from the Turks. As Christians, the Balkan peoples were at best second-class citizens – conquered subjects, denied religious equality. 'The Christians, indeed, were excluded from political power, made subject to a special tax, [i.e. the Jizyah] and were on more than one occasion exposed to the risk of systematic extermination.' [12
....
On Easter Day 1822, the Orthodox Patriarch in Constantinople was hanged by the Ottomans, and his body was later was thrown into the Bosphorus, eventually recovered by a Greek boat and brought to Odessa, where the Patriarch was given a martyr's burial. The murder of the Patriarch was a disastrous miscalculation by the Khilafah, and caused widespread revulsion in Europe, with Russia threatening intervention. The cause of Greek liberation now became a popular concern among Europeans, horrified at the oppression of their fellow-Christians, the massacres and the sale into slavery of Greek Christian captives in Egypt.
....


Lê também"The Exclusion of the Jews and Christians from the Arabian Peninsular"

Repara numa coisa: isto são situações que tiveram como precedente os ensinos do Muhammad, o profeta pedófilo do islão.


E sabes da identificação amarela que os judeus tiveram que usar durante o regime nazi? Adivinha quem inventou?

"In the ninth century, Baghdad's Caliph al-Mutawakkil designated a yellow badge for Jews, setting a precedent that would be followed centuries later in Nazi Germany

Mais erros a corrigir:

Por exemplo, na Península Ibérica o povo continuou sendo cristão apesar da ocupação muçulmana.


Mas eles eram cristãos APESAR da ocupação. era uma constante os muçulmanos fazerem raides a zonas cristãs, roubarem, matarem, violarem, e trazerem mulheres e muito espólio. A vida d e um cristão debaixo do jugo muçulmano é um inferno devido a teologia islâmica.

Se quiseres mais informação, diz que eu envio.
Pelas tuas frases parece que não chegaste a lêr o artigo que te mandei intitulado "What Arab Civilization?".

Por isso eram cientificamente muito mais avançados.

Felizmente, não eram. E mesmo que tivessem algum conhecimento, a esmagadora maioria desse conhecimento era uma consequência lógica de terem ocupado uma área que ia de Portugal à India. É óbvio que haveriam de aprender alguma coisa, e impôr isso nas áreas invadidas.

Aprendemos isso no 5º ano de História. Se leres "O Nome da Rosa" (Umberto Eco é historiador) reparas igualmente nas referências sobre as influências pagãs nas abadias, e podes encontrar essa informação em livros sobre a História da Ciência, da Matemática, da Medicina, da Física, da Astronomia e da Filosofia.

Curiosamente, quase todas essa árewas tiveram um ou mais cristãos como fundadores ou percussores.

Que eu saiba não falei em números árabes. Volte a ler novamente o meu comentário, se faz favor. Eu disse que "aprenderam com outras culturas, tinham preservado obras perdidas e acrescentaram a importância de certas áreas científicas, como a Medicina, no Corão".


Mas qual medicina no Corão?! Mas estás a falar a sério? Sabias que o "profeta" Muhammad disse a seguidores seus para beberam urina de camelos como tratamento médico? Eu tenho um Corão em casa. Diz-me quais são as "suras" e as "ayas" onde ha 'ensinamentos médicos'.

Entretanto, ficam aqui algumas coisas para saberes mais sobre a "medicina islâmica":


http://www.muhammadanism.org/Hadith/Topics/Medicine.htm

Urine as Medicine

Sahih Bukhari
Narrated Anas:The climate of Medina did not suit some people, so the Prophet ordered them to follow his shepherd, i.e. his camels, and drink their milk and urine (as a medicine). So they followed the shepherd that is the camels and drank their milk and urine till their bodies became healthy. Then they killed the shepherd and drove away the camels. When the news reached the Prophet he sent some people in their pursuit. When they were brought, he cut their hands and feet and their eyes were branded with heated pieces of iron. Sahih Al-Bukhari, Vol. 7, Bk. 71, No. 590. (Also, see No. 589.)


Mas a álgebra foi invenção dos árabes,


Mais um pouco de história islâmica:


Ibn Sina (980-1037)

Ibn Sina, also known as Avicenna was another prominent figure, who excelled in medicine but his contribution to science and philosophy is also greatly remembered. Muslims proudly call him the doctor of doctors and enjoy virtual pleasure, alleging him as a golden egg of golden Islam. Despite taking the credit, Muslim countries never benefited from his works, however many hospitals, clinics, pharmacies and hotels of Islamic countries are named after him. Ironically, European universities added Ibn Sina’s medical and philosophical works to their curriculum but they remained unknown to the witch factories aka madrassas of the Muslim world.

...........

"Arberry made the most interesting assessment of Avecinna in the following commentary, “Even during his lifetime Avicenna was suspected of infidelity to Islam; after his death accusations of heresy, free thought and atheism were repeatedly leveled against him.”
............


Ou seja, aqueles que eram ditos de cisntistas islâmicos eram pessoas que tinham visões contrárias ao islão em pontos importantes.

e Fibonacci deu a conhecer aos atrasados europeus que ainda usavam o ábaco.


Pobres coitados dos europeus. Os muçumanos, com a sua descoberta, não conseguiram avançar muito na ciência. Os "burros" dos europeus avançaram mais do que os muçumanos poderiam imaginar, e hoje em dia os muçulmanos disfrutam daquilo que os cientistas cristãos, judeus e ateus, agnósticos inventaram.

Se procurares informar-te pelo que disse (e não pelo que não disse), verificarás que digo a verdade, mas se tiver enganado em algo, não tenho problemas em admiti-lo mais rapidamente do que farias (nunca).


Então espero que corrigas a tua posição no que toca a "ciência islâmica".

Por exemplo, procura biografias de Roger Bacon, de Guilherme de Occam e de Giordano Bruno.


Já te disse que o Bruno era um ocultista. Roger Bacon era um franciscano.


Que eu saiba o berço da Filosofia e da Ciência é a Grécia.

O berço da ciência moderna foi a europa cristã.

Durante o jugo cristão, não havia conhecimentos de higiene, de como fazer canalização, de arte, etc. como no período Clássico.


No entanto, a Bíblia está repleta de conhecimentos sanitários que vão para além do que era conhecido na época.


Era obrigatório ser cristão, e muitos dos monges com livre-pensamento foram condenados. O pai da astronomia moderna foi Kepler, e foi excomungado. Todos os grandes cientistas cristãos foram rebeldes que não aceitavam a intervenção da autoridade religiosa na investigação científica.


Curiosamente, nunca li em lado algum que eles tivessem abandonado a sua fé em Deus por causa das suas descobertas científicas. Conheces alguem que tenha feito isso? Ou eram "obrigados" a serem cristãos?


Não tenho a cegueira de reconhecer que muçulmanos e cristãos contribuíram para a Ciência, mas tu não tens problemas em retirar o mérito dos muçulmanos por seres cristão.


Eu retiro o mérito aos muçlmanos uma vez que, baseados na história, podemos vêr que a suyposta "ciência islâmica" é um mito moderno inventado por pessoas que tentam remover o Cristianismo do papel de percursor da ciência moderna. A verdade é que os textos islâmicos, ao ocntrário da Bíblia, estão cheios de coisas sanitariamente e medicamente ridiculas e perigosas para o corpo humano. A não ser que estejas de acordo que beber urina de camelos tem benefícios médicos, ou que o sexo dos bébés é definido pelo pai ou pela mãe, dependendo de quem atingo o climax primeiro:

ukhari:V4B55N546 "Allah's Apostle said, 'Gabriel has just now told me of the answer. If a man has sexual intercourse with his wife and gets discharge first, the child will resemble him, and if the woman gets discharge first, the child will resemble her.'"

hmm... Pois!

Enfim, poderia mostrar-te citação atrás de citação para vêres o quão anti-científica a religião islâmica é.
Compara isso com a Bíblia, e com os inúmeros mandamentos de cariz médico por lá. Lê as leis de separação da mulher depois deste passar os seus dias do mês. Lê sobre o que fazer com a contaminação. Lê sobre o que fazer depois de tocar em corpos mortos.

O conhecimento médico na Bíblia é tão massiço que um cientista diz o seguinte:

Max Neuberger, writing in his "History of Medicine" states:

"The commands concern prophylaxis and suppression of epidemics [21], suppression of venereal disease and prostitution, care of the skin, baths [22], food, housing and clothing, regulation of labour, sexual life, discipline of the people, etc. Many of these commands, such as Sabbath rest, circumcision [23][24], laws concerning food (interdiction of blood and pork), measures concerning menstruating and lying-in women [25] and those suffering from gonorrhoea, isolation of lepers, and hygiene of the camp, are, in view of the conditions of the climate, surprisingly rational."(Neuburger: History of Medicine, Oxford University Press, 1910, Vol. I, p. 38).



Sobre as leis constantes, foram os antigos filósofos gregos da escola de Mileto que pensaram nisso.

Pensaram nisso, mas não explicam isso. A Bíblia explica. A existência de leis no universo são evidência para um Legislador Cósmico.


Procura informar-te sobre a hipótese do Divino Geómetra de Kepler para veres em que deu. No momento em que procurares mesmo por não confiares em mim, em vez de simplesmente procurares meios para refutar-me, terás uma surpresa.


Mas eu já li sobre isso, e até hoje, a Bíblia é o Único Livro que explica racionalmemte a origem das leis que regem a matéria do universo. As leis invisíveis e absolutas são uma emanação dsa Mente do Criador, o Mesmo Criador que os ateus dizem que é refutado por essas mesmas leis!

É melhor não dares lições de História sem teres esse mérito. Que eu saiba eu é que estou a dar uma saravaida de informação histórica, e estou a dizer para investigares por ti mesmo. Tu estás só a dizer-me: "lê isto".


Os teus erros no que toca a história do islamiso é uma forte evidência que a tua versão da história nada mais é que a regurgitação normal que hoje em dia há no mundo secular. Quer isso seja por falta de estudo ou por falta de moral, o que interessa aqui é que, mais uma vez, a realidade dos factos refuta a tua versão da "história", tal como a operaçõ natural do mundo refuta a tua versão das origens da biosfera.

Eu só espero que não voltes a fazer o erro de usar a ciência islâmica como "evidência" para o que quer que seja.

Mats,

já apresentei artigos que respondem aos artigos aqui apresentados. Para este em particular:
«A Ciência e o Criacionismo - p3 (A Religião e a Ciência)» Podes dar uma vista de olhos nas referências que estão no final. Incluo informação de cristãos, citações de Galileu (algumas com cópias de cartas), fontes do site do Vaticano e citações do João Paulo II.

O caos também não deve requerer explicação? Se os deuses (ou Deus) é ordeiro, ele não precisa também de ser explicado? A religião é o limite da Ciência: a invenção de explicações para não explicar.
Anaxágoras era um materialista que foi condenado como sendo ateu e imaginou uma substância que chamou de "nous" ("mente") que deu origem à organização. Não indentificava essa substância como sendo divina, mas a ideia foi adaptada por outros gregos para elaborar a ideia que estás a apresentar. Mas em vez de "nous", é um Deus. (referência no primeiro ponto do artigo)

Os fundadores das áreas científicas foram gregos do período clássico. Na Wikipedia veja uma lista de filósofos da ocidente, e investigue o papel deles em todas as áreas científicas e as suas crenças. Note que eles existiam séculos antes dos cristianismo.

Aquino e Agostinho adoptaram as ideias de Platão e Aristóteles. Era essa a ciência cristã. Roger Bacon foi o primeiro cristão a defender um método científico com base na experimentação, inspirado pelos árabes. Foi preso durante 14 anos por bruxaria. Copérnico morreu antes da sua obra publicada (mas que esteve no Index de Livros Proibidos), Kepler foi excomungado e Galileu foi preso. O que permitiu a Ciência florescer entre a cristandade foi a liberalização da interpretação bíblica. Galileu não via a Bíblia como tu vês.

Não é por ser ateu ou cristão que existe Ciência. Por exemplo, se for um ateu como Estaline - ultra-conservador, contra a liberdade de expressão, com dogmas ideológicos -, não há ambiente propício para a Ciência. Um cristão com a atitude de Galileu seria muito mais propício à Ciência do que um ateu como Estaline. E se a existência de Deus não for matéria científica - como muitos defendem, tal como Galileu defendia -, então torna-se irrelevante a crença na existência ou inexistência de um Deus, já que não pode ser provado um lado ou outro.

Não estou a fazer uma guerrinha de cristãos contra ateus. Estou a refutar a ideia de que a Ciência precisa da crença em deuses, e defendo que só é propícia sem interpretações literais de livros sagrados que limitam o alcance do que pode ser discutido, imaginado e estudado. Tu é que estás a imaginar teorias da conspiração para defender que os cristãos inventaram tudo, renunciando os méritos dos antigos gregos e dos muçulmanos.

Que eu saiba Jesus criticou os judeus de lavarem as mãos. O conselho sanitário - que os egípcios adoptavam antes dos judeus (até rapavam a cabeça) - foi por água abaixo.
Citando Marcos 7:
«Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar?» ... [Jesus disse como resposta] «Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é que contamina o homem.»
Grande lição de biologia e saúde!
Os gregos e romanos incentivavam a higiene, contruiram canalizações, termas e casas-de-banho públicas, e a Igreja destruiu isso tudo.

Tu não estiveste a ler as minhas fontes nem deste ao trabalho de verificar o que digo, se não não dizias idiotices como: «Pensaram nisso, mas não explicam isso. A Bíblia explica. A existência de leis no universo são evidência para um Legislador Cósmico.» Mesmo na Wikipedia mostra como eles explicavam. Dei o exemplo de Anaxágoras. No link que dei sobre Anaximandro:
«e postulated the apeiron as a substance that, although not directly perceptible to us, could explain the opposites he saw around him.

Anaximander explains how the four elements of ancient physics (air, earth, water and fire) are formed, and how Earth and terrestrial beings are formed through their interactions. Unlike other Pre-Socratics, he never defines this principle precisely, and it has generally been understood (e.g., by Aristotle and by Saint Augustine) as a sort of primal chaos. According to him, the Universe originates in the separation of opposites in the primordial matter. It embraces the opposites of hot and cold, wet and dry, and directs the movement of things; an entire host of shapes and differences then grow that are found in "all the worlds" (for he believed there were many).»

Dizes que os "quase todas essa árewas tiveram um ou mais cristãos como fundadores ou percussores". Pois, mas Anaximandro era astrónomo, predisse eclipses e terramotos, estudava meteorologia e cartografava o que se conhecia da Terra. A matemática, astronomia, física, biologia, geologia, medicina, química, etc. já existiam na Antiguidade Greco-Romana. Não conheces ? Não conheces Hipócrates, Galeno (Medicina), Aristóteles (Biologia, Física, Psicologia), Pitágoras, Tales (Matemática), Heraclito, Arquimedes (Física: "Eureka!"), Aristaco, Erastónenes, Hiparco (Astronomia)?

Lês livros sobre a História da Ciência, ou só obras de proselitismo cristão? É que como a minha família sabe que interesso-me por Ciência desde criança têm-me oferecido livros sobre Ciência, microscópios e outras prendas assim do género. Também tens esse interesse para responder a perguntas como essas:
Quem foi o primeiro a descobrir que a Terra não é plana (acreditava-se antes que era um cilíndro) e que calculou a sua circunferência? Foi um cristão? Quem foi o primeiro a definir que a Terra não é o centro do Universo, mas que movimenta-se à roda do Sol? Foi um cristão?
Diz-me lá quais são os nomes de cristãos que fundaram áreas científicas e que áreas são essas?

Enquanto só palrares com argumentos de apelo de autoridade, e não mostras algo que possa ser verificada para tirarmos as nossas próprias conclusões, incentivando que se confirme ou refute o que, então os teus argumentos não têm qualquer valor. É como disse: não estás a mostrar nada. Vê bem como apresento as fontes para procurares por ti mesmo, e faz o mesmo, para vermos no que dá.

1) Como dizes que quase todas as áreas científicas foram fundadas por cristãos, ou foram percursores delas...

1.1) apresenta exemplos desses fundadores, com os seus nomes associados à área científica, de preferência com links que explicam um pouco como chegaram a tais conclusões, e com datas aproximadas dos seus nascimentos.
(Nota: é claro que se as tais áreas tiverem sido estudadas antes desse cientista, então ele não pode ter sido fundador; e se o cristão era liberal na interpretação bíblica, então não é o que defendes)

1.2) Indique exemplos de cristãos percursores dessas áreas, indicando as suas datas de nascimento, os cientistas antecessores (por exemplo, Copérnico é antecessor de Galileu; Filolau e Aristarco - gregos - é antecessor de Copérnico)

Vê lá se consegues. As conclusões podem ser interessante.
É o que deverias fazer em vez de dizer disparates como «Curiosamente, quase todas essa árewas tiveram um ou mais cristãos como fundadores ou percussores».
Os argumentos devem ser fundamentados, verificáveis e não devem usar argumentos de apelo à autoridade (falácia; exemplo: «Então volta a lêr o artigo, especialmente a parte que está a vermelho.»).

Enviar um comentário

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More